Coluna Seabra Neto

Entrevista: Hugo Pordeus fala sobre os 18 anos de fundação da MID Comunicação

14 ago 2019 por Seabra Neto

Superação. Essa é palavra com a qual o jornalista e publicitário Hugo Pordeus define a trajetória de sucesso da MID Comunicação, agência fundada por ele há 18 anos. Formado pela Universidade Federal de Pernambuco, Hugo trabalhava entre 10 e 12 horas por dia no início da carreira. Não pensava em outra coisa, senão trabalhar mais e mais para concretizar o sonho de conquistar seu lugar no mercado de trabalho. Para falar sobre a história da empresa, Hugo Pordeus concedeu a seguinte entrevista para o Mercado no Ar. Acompanhe:

Seabra Neto – A MID Comunicação está comemorando 18 anos de fundação no mercado publicitário de Pernambuco. Como surgiu a ideia de criar a agência?

Hugo Pordeus – Surgiu a partir da vontade de empreender, de ter um negócio próprio. Eu já havia atuado como repórter no Diario de Pernambuco, no Jornal do Commercio e nos portais de Internet de ambos (DP Net e JC OnLine). Já tinha atuado também para a Gazeta Mercantil e para a Revista Exame (Editora Abril). Mas a faísca foi acesa quando fui convidado para ser diretor de Conteúdo de uma empresa luso-brasileira especializada em Marketing Digital. Passei um ano nessa empresa e, depois da experiência, fundei a MID.

Seabra Neto – Quais foram os maiores desafios da empresa nessa trajetória de sucesso?

Hugo Pordeus – A melhor palavra para descrever esse início é superação, sem dúvida. Todo início, para qualquer empresa, de qualquer segmento, quase sempre é muito difícil. E, com a MID, não foi diferente. Eu tinha apenas 23 anos de idade quando fundei a agência, com os meus sócios Cezar Pordeus (meu irmão) e Berg Brandt, além da participação decisiva e fundamental de Isabel Ribeiro, que na época era uma colaboradora de destaque e hoje é sócia. Ao mesmo tempo, eu tinha muito entusiasmo e muita vontade de acertar. Eu trabalhava entre 10 e 12 horas por dia, com uma energia incrível. Relembrando essa época, chego a me surpreender e também a me emocionar. Porque nunca foi fácil. Mas sempre foi extremamente prazeroso e gratificante! Um dos maiores desafios foi, sem dúvida alguma, entrar no mercado publicitário. Isso aconteceu no ano de 2005. Três meses após receber o convite-desafio do empresário David Stephen, da Unibratec, montei toda a estrutura, contratei a equipe de redatores, diretores de arte, produção, mídia. E convidei Isabel Ribeiro para deixar o núcleo de Comunicação Corporativa para assumir a gestão de Atendimento do núcleo de Publicidade. Tivemos que aprender tudo na prática, no dia a dia. Lançamos uma campanha publicitária para anunciar aos quatro cantos que a MID era, a partir daquele momento, também agência de propaganda. Tive a sorte de escolher bem essa equipe inaugural. Grandes talentos, que até hoje estão aí no mercado: Patrícia Campos e Mauro Bello, designers e diretores de arte; Iuri Leite Filho, hoje um profissional muito reconhecido no mercado de São Paulo; entre tantos outros profissionais talentosos e dedicados que nos deram a honra de fazer parte da MID no início de suas carreiras, como Hálamo Cavalcante (ex-sócio), Cynthia Beltrão, Sara Cardoso, Patrícia Xavier, André Ferreira, Thiago Rocha, Marília Falcão, Cleto Campos, Patrícia Monteiro… e tantos outros.

Seabra Neto – Qual o balanço que você faz da MID ao longo desses 18 anos, destacando fatos, campanhas, projetos e cases que marcaram a história da agência?

Hugo Pordeus – O balanço é bastante positivo, na minha avaliação. Somos uma self made agência. Sem investidores externos, sem “padrinhos” influentes na política e no mercado. Afinal, a MID foi evoluindo de acordo com as tendências de mercado e também com o avanço da tecnologia. A transição para a publicidade foi desafiadora. Talvez tenha sido o passo mais ousado que a gente deu. Tudo começou com um MBA em Marketing que eu comecei em 2005 na FCAP/UFPE. Ampliei minha visão para novas oportunidades, além da comunicação corporativa e da web. Mas não posso deixar de registrar um fato essencial: o convite do empresário David Stephen, então CEO da Unibratec, uma rede de ensino especializada em Informática, para que a MID cuidasse da conta publicitária da Unibratec. Ele me provocou, me desafiou. Eu aceitei. E o resto é história. Já se vão 14 anos atuando também como agência de propaganda. Fica difícil destacar as campanhas e os projetos mais marcantes. Me arrisco a dizer que as primeiras campanhas de televisão que a MID criou para divulgar o Vestibular da Unibratec foram bastante especiais, pois foram nossa estreia na criação e produção de filmes para TV. Os comerciais para o Vestibular das Universidades Federais de Pernambuco (UFPE e UFRPE) para o cliente Covest-Copset também foram muito marcantes.

Seabra Neto – Como você avalia a marca MID no cenário publicitário pernambucano?

Hugo Pordeus – Acredito que a MID é uma agência conhecida por sua versatilidade e por sua forma ética e séria de atuar. Não somos uma agência moderninha e descolada. Esse não é de forma algum nosso perfil. Nem nunca foi, aliás. Procuramos fazer o nosso trabalho de forma técnica, buscando conciliar criatividade, pertinência e bom senso. Sem fazer graça por conta de modismos ou tendências vazias, furadas. Continuamos com a filosofia de comunicação integrada. Acreditamos em soluções sob medida para cada marca, para cada negócio, para cada segmento específico de mercado. Não queremos ser uma grande agência em tamanho, em estrutura. Queremos entregar grandes resultados aos nossos clientes, sejam estes de pequeno, médio ou grande porte. Não posso ter a pretensão de considerar a MID uma empresa consolidada no mercado, pois nossa área é extremamente volátil. Tudo muda o tempo todo. A velocidade de transformação é estonteante. Definitivamente, não é um tipo de atividade para quem não tem “estômago”. Exige uma capacidade de atualização intensa. É preciso estar lendo, estudando, participando de eventos, dialogando, de forma continuada. Mas o que posso dizer é que tenho um sentimento de vitória, felicidade e gratidão por ter chegado a esta marca de 18 anos. É aquele clichê… passa um filme na cabeça! Foram e ainda são muitas e intensas emoções. E também muito trabalho envolvido.

Seabra Neto – Quais as marcas que fazem parte da carteira de clientes da agência?

Hugo Pordeus – Desde 2001, já atendemos mais de cem marcas do mercado pernambucano e nordestino, em diversas áreas da comunicação, entre elas a publicidade. Podemos citar alguns clientes, correndo o risco de esquecer outros, igualmente importantes, a exemplo de: Unibratec, Fátima Rendas, Microsiga (hoje Totvs), Procenge, Covest-Copset, Entre Amigos O Bode, Gendai Sushi, Armazém Guimarães, Tio Pepe, Menthel Aparelhos Auditivos, Ouvir Mais, SFCS Advogados, Âncora Seguros, HVisão, Crefito-1, Fenafisio, Associação Brasileira de Fisioterapia (ABF), Associação Brasileira de Odontologia (ABO-PE), Hotel Ocaporã, Hotel Tabaobí, Sebrae Pernambuco, Café São Braz, Academia Cristã de Boa Viagem, Colégio Decisão, Fafire, Faculdade Santa Helena, Souza Cruz, Queiroz Galvão, Ademi-PE, Tambaú Alimentos, Soservi, +QDelícia, In Forma Software, Safetec, LanLink, SysDesign, Fábrica de Negócio, Clínica Angio, Amcham, Projetec, Bolinha de Gude, Club Conceito, Centro Urológico de Pernambuco (Cuper), Plano A Arquitetura, etc., etc., etc.

Seabra Neto – Quais são as ações e/ou campanhas que a agência pretende realizar para marcar os 18 anos de atividades?

Hugo Pordeus – Em resumo, vamos investir em mídia digital e nas redes sociais para divulgar os 18 anos da MID, além de ações de relações públicas e assessoria de imprensa. Criamos um selo para registrar a data, que consideramos muito especial em nossa trajetória, pois traduz esse conceito de maioridade em um momento tão conturbado pelo qual passa o Brasil, tornando tudo ainda mais complexo, desafiador e, ao mesmo tempo, instigante. Empreender aqui em nosso país sempre foi uma tarefa nada fácil. É preciso ser muito resiliente, persistente e acreditar muito em si mesmo, na sua equipe, para continuar seguindo em frente. Crise no Brasil é algo sistêmico e recorrente. Nosso desafio é transformar as dificuldades em oportunidades. É conseguir enxergar na frente, o que não é nada simples. Acho que tudo começa com a disposição de continuar trabalhando firme e de continuar estudando e aprendendo coisas novas o tempo todo. É renovar a fé e a esperança diariamente, nos negócios, nas pessoas, em Pernambuco, no Nordeste e no Brasil.

Seabra Neto – Para finalizar, quais são seus planos para MID chegar aos 20 anos com o mesmo potencial e sucesso?

Hugo Pordeus – Nossa estratégia para chegar aos 20 anos se resume a um ponto principal: permanecer abertos para a transformação, para o “novo”. Pois, como diz o poeta, o “novo” sempre vem. Não adianta lutar contra o que é irreversível e irresistível. É se adaptar ou morrer. Simples assim. Então, a gente procura praticar esse exercício de estar sempre renovando o nosso conhecimento, com muita humildade e com muita naturalidade. O que a gente fez ontem muito provavelmente não vai servir para amanhã. Agora, claro, falar é sempre muito mais fácil do que fazer. O mais importante é ter essa disposição de procurar estar sintonizado com tudo o que acontece ao nosso redor. De não se deixar limitar por fronteiras físicas ou geográficas. De ter coragem para continuar escrevendo nossa história, valorizando toda a experiência acumulada nesses 18 anos, mas tendo a simplicidade de reconhecer a importância das novas habilidades e das novas competências que estão bem aí, à nossa frente, nesse lugar que a gente costumava chamar de Futuro e que, hoje, é o nosso dia a dia. E vou dizer uma coisa: nem em nossas mais ousadas previsões, poderia ser mais surpreendentemente interessante este Admirável Mundo Novo.

Veja outras notícias da coluna acessando o link:  http://mercadonoar.com.br/categoria/coluna