Coluna Seabra Neto

Publicitárias falam sobre lutas, conquistas e avanços das mulheres na propaganda

13 mar 2019 por Seabra Neto

Em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, celebrado no último 8 de março, a coluna estreia, hoje, a série A mulher e o mercado publicitário, que traz depoimentos de profissionais que fazem parte do negócio da propaganda em Pernambuco. A ideia é mostrar como elas pensam, agem, discordam, se inspiram, bem como atuam e o que esperam do mercado de trabalho atual e futuro. As entrevistadas de hoje são as publicitárias Cristina Queiroz, vice-presidente da Ampla Comunicação, e Marta Lima, sócia e fundadora da Martalima Comunicação.

 

 

Desbravando os mais diversos espaços publicitários

“As conquistas das mulheres na propaganda são permanentes e não param. Se considerarmos essas conquistas aqui em Pernambuco, a partir da década de 70, lembro de Cecilia Freitas liderando um grupo de nove mulheres, sendo um marco na história da propaganda pernambucana. Inaugurava-se ali a presença feminina no meio publicitário, um mundo predominantemente masculino. Essa foi uma conquista importante! Sentar numa mesa de negociação com clientes e, naquela época, certamente um mundo também predominantemente masculino, para definir estratégia e verba de comunicação publicitária foi uma participação ousada e inovadora. De lá para cá, essas mulheres desbravaram os mais diversos espaços publicitários nas agências de mídia. Fizeram diferença no planejamento, na criação, como redatoras, diretoras de arte, diretoras de criação, no atendimento ao cliente, na produção, assim como na liderança da gestão administrativa e financeira desse ambiente de trabalho que mobiliza uma boa parcela da economia. Hoje as conquistas se expressam não só nessas áreas tradicionais, mas evoluem com a transformação digital, possibilitando a mais mulheres a ocupação de novos espaços dentro das agências, de forma competente e contribuindo para a transformação do mercado; e também fora das agências, como representantes de sua categoria, tomando assento no Sindicato das Agências de Propaganda – Sinapro, por exemplo.” – Cristina Queiroz – vice-presidente da Ampla Comunicação.

 

 

 

 

Martalima é a prova de que podemos conquistar o nosso espaço

“Sabe que, para mim, essa é uma pergunta difícil de responder? Porque nunca me intimidei por ser mulher. Falo isso em relação à vida, à profissão, às relações pessoais, às atitudes, etc. Fui a única mulher da minha casa, com quatro irmãos homens, ou seja, tinha que encarar eles. Tive quatro filhos, uma mulher e três homens, que criei e eduquei praticamente sozinha. Na minha principal experiência publicitária antes de abrir a Martalima, trabalhávamos na criação, eu e mais três homens; também tinha que me impor, mas isso sempre foi natural, nunca sofrido. E, diferentemente do mercado publicitário em geral, a Martalima é e sempre foi uma empresa majoritariamente feminina. Somos três sócias e um sócio, temos mais mulheres no planejamento, no atendimento e na criação, temos só mulheres na mídia, na produção e no administrativo. E olha que fomos, durante 20 anos, a maior agência do setor automotivo do mercado nordestino, um segmento historicamente atendido pelo universo masculino. Mas sei que somos uma exceção. As questões de gênero existem, são barreiras a serem vencidas, mas a Martalima é a prova de que podemos conquistar o nosso espaço.” – Marta Lima – sócia e fundadora da Martalima Comunicação.

Veja outras notícias da coluna acessando o link: http://mercadonoar.com.br/categoria/coluna